Caixa rouba R$ 7 bilhões por ano do trabalhador com taxa do FGTS, afirma Maia

Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados, afirmou em entrevista que somente com os lucros anuais da Caixa Econômica Federal são tirados/roubados dos trabalhadores bilhões de reais utilizando como meio/desculpa o FGTS (Fundo de Garantia de Tempo de Serviço).

Advertisement

De acordo com o presidente, são roubados anualmente aproximadamente R$ 7 bilhões do lucro anual da Caixa. Maia revelou tais dados em entrevista concedida do programa Poder em foco, SBT.

Advertisement

Ainda na entrevista que ocorreu na madrugada desta segunda-feira (14), o presidente criticou as enormes taxas cobradas pelo banco estatal para controlar o Fundo de garantia, roubando cada vez mais do povo brasileiro.

Advertisement

Ainda sobre este assunto, Maia propõe que o governo coloque os responsáveis na parede e obriguem à diminuírem as altas taxas, ou então, que o governo abra entrada para outras instituições financeiras administrarem o FGTS.

Segundo o deputado, o rendimento do Fundo de garantia não deveria em hipótese alguma ser utilizado pelo governo para custear alguns programa sociais, como por exemplo, o Minha Casa Minha vida.

Não é justo que o dinheiro do trabalhador, que é sócio deste fundo imenso que é o FGTS, seja usado como subsídio para construir a casa de outra pessoa

Afirma Maia, e completa que para alguns o Fundo de Garantia pode ser a única poupança que eles tem.

O que é o FGTS?

O FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) é uma poupança criada pelo governo federal para “guardar” uma reserva monetária para o trabalhador. Mensalmente, é feito um depósito pela empresa que equivale a 8% do salário.

Tal depósito é de total responsabilidade da empresa e o trabalhador não irá ter qualquer desconto em razão deste depósito.

Na prática, um trabalhador que recebe R$ 1000 reais por mês, irá ter em seu fundo de garantia mensalmente 80 reais e quando necessário poderá sacar.

Tais contas são criadas na Caixa Econômica e está em constante movimento e mensalmente é cobrado uma pequena taxa para a administração de tal benefício.

E se a empresa não depositar o FGTS?

Caso a empresa responsável não esteja depositando corretamente o Fundo de Garantia, o trabalhador deverá procurar empregador e posteriormente se não resolvido, a Secretaria de Trabalho.

Em outros casos, também são procurados os sindicados de cada categoria, para que então os “chefes” dos mesmos tomem as providências cabíveis para regularizar este direito do trabalhador.

Advertisement

Advertisement