É possível viajar no tempo? Segundo cientistas, estamos viajando agora!


Sim! Realmente o título conserva sua essência, não é clickbait ou erro de interpretação, de fato estamos viajando no tempo, mas é um pouco diferente das viagens retratadas nos livros e filmes.

Há anos o tema é alvo dos roteiristas para elaboração de histórias pra lá de curiosas e recheadas de mistérios, como por exemplo, o conhecido filme Zathura – Uma aventura espacial.

Advertisement

Mas a verdade é que a realidade exposta nos filmes é algo surreal e distante para nós, humanos. Mas de fato estamos viajando no tempo, e iremos te provar isso. Cuidado para não cair da cadeira.

Apertem os cintos – VAMOS DECOLAR

Talvez você não acredite, mas neste exato momento estamos viajando para o futuro. Porém, essa viagem é apenas de um segundo a cada vez. Estamos viajando no tempo a praticamente todo instante.

Quer saber a grande diferença da nossa viagem para as dos filmes? A nossa viagem só caminha para o futuro e acontece de tempo em tempo.

Antes de falarmos um pouco mais sobre o tema, é importante que você compreenda o estudo base por trás dessas teorias de viagens futurísticas. No ano de 1905, Albert Einstein, comprovou que não existe nada mais rápido do que a velocidade da luz e é este o principal fundamento das teorias.

Segundo ele, o tempo é algo relativo e pode ser distorcido de acordo com a gravidade e velocidade na qual o mesmo está incluso.

Em poucas palavras, o quão mais rápido algo se movimenta, mais lentamente o tempo passa. Detalhe, para o observador que está “olhando de fora”. E seguindo este pensamento, na velocidade de luz, o tempo para.

E na teoria, como funciona? Pois bem, se algum dia alguém conseguir viajar pelo espaço durante um ano, em uma velocidade igual ou próxima à da luz, quando ela retornar à terra já irá ter se passado aproximadamente 70 anos.

Estranho, né? Isso só é possível porque o quão mais rápido algo se move, menor será o passar do tempo naquela região.

Visando isso, se pudéssemos chegar bem perto da velocidade da luz, iríamos conseguir viajar para o futuro. Pois assim, a velocidade de passagem do tempo iria diminuir.

Infelizmente, pra que isso ocorra seria necessário que os elétrons viajassem nesta velocidade e para isso eles precisariam de bastante energia, o equivalente à vida inteira do nosso astro rei, o sol.

E para que um objeto de um metro de comprimento conseguisse viajar para o futuro, seria necessário produzir a energia de aproximadamente 6 bilhões de estrelas. Estamos um pouco longe disso tudo…

Agora que já entendemos um pouco sobre viagens no tempo e que elas só são possíveis se atingíssemos a velocidade da luz, vamos abordar um outro assunto que está ligado diretamente ao tema.

Logo após a descoberta e comprovação da teoria da relatividade (este ano foi o seu centenário), Einstein provou que o “espaço-tempo” pode se distorcer/curvar na presença de outros corpos.

Ou seja, de fato pode existir os “conhecidos” buracos de minhoca. Que nada mais são, do que um túnel que ligaria dos pedaços do espaço-tempo.

Espaços estes que são bem distantes do universo e cada “boca” do túnel ligariam ao buraco de minhoca.

O grande plano

Dessa maneira, os cientistas acreditam que se pegassem um das pontas do buraco e acelerassem elas próximo à velocidade da luz e conservassem a outra, seria possível viajar no tempo.

Como assim? Uma das pontas iria estar viajando no tempo e a outra iria estar parada no presente, ao entrar ou sair de uma das pontas, um novo tempo iria aparecer para aquele objeto/pessoa.

Isso nunca foi provado, na verdade, não sabe-se se realmente existem tais buracos. Mas alguns cientistas acreditam que mesmo que exista, eles são minúsculos e nem um átomo conseguiria passar por eles.

Chega de informações por hoje, né? Talvez tudo que conhecemos seja apenas uma gota em um oceano vasto e INFINITO. Mas a verdade é que estamos de fato viajando no tempo. Tudo está em movimento, a terra, a terra ao redor do sol, o sol na Via Láctea, a Via Láctea no Universo e assim vai…

Então, se levarmos em conta a algum observador estático no espaço, o tempo irá passar mais devagar para nós. Viagens no tempo são SIM uma realidade!


Advertisement